Por que ter um planejamento tributário em dia?

O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) foi criado em 1992 com a finalidade de reunir profissionais da área para a criação de espaços de diálogo, e tinha o objetivo de criar alternativas para reduzir os impactos tributários nas empresas.

De fato, esse foi um grande passo para as organizações e para os profissionais, pois, até hoje, essas medidas conseguem aquecer o mercado e fomentar o desenvolvimento econômico.

O planejamento tributário foi uma das melhores alternativas! Criado para solucionar o problema de empresas com relação ao planejamento e gerenciamento dos pagamento dos impostos e taxas, tem sido o serviço contábil com a maior demanda, principalmente devido à sua relevância.

Neste artigo, vamos entender melhor o que é um planejamento tributário, suas vantagens e o quanto é importante para a sustentabilidade econômica das empresas atualmente. Quer saber mais? Então não deixe de ler!


O que é um planejamento tributário?

Algumas pessoas acham que o planejamento tributário consiste apenas no mapeamento das taxas que devem ser pagas e a execução de planos para lidar com isso. Porém, ele consegue fazer muito mais!

O planejamento tributário é uma maneira de estudar e analisar detalhadamente as empresas, com o intuito de procurar meios legais a fim de reduzir e amenizar a carga tributária que paira sobre as operações dos negócios.

Além disso, outra atuação do planejamento é a busca de formas práticas e eficazes de retrair, adiar ou anular a incidência dos impostos no que diz respeito às operações comerciais. Por exemplo, retraindo os valores de recolhimento, evitando a incidência de uma taxa ou retardando o pagamento da obrigação.

É válido falar que a ética é sempre um pilar essencial, principalmente quando estamos falando sobre finanças e contabilidade. O planejamento tributário, portanto, não infringe esse ponto, pois corresponde à busca de oportunidades de negociação dentro da própria lei, sendo uma forma de elisão fiscal, não de evasão.

E existem vários tipos de planejamento, diferenciados por objetivos, nas pessoas envolvidas, na participação e na atuação, principalmente. Você sabe quais são? Então vamos falar melhor sobre eles!


Planejamento Tributário Estratégico

O Planejamento Tributário Estratégico acontece quando os gestores das empresas, geralmente os administradores e sócios, realizam mudanças para que atinjam um novo objetivo em um determinado tempo. Algumas vezes, elas são impulsionadas por mudanças de reposicionamento da marca, um novo planejamento estratégico, uma nova fase na empresa, e assim por diante.

Planejamento Tributário Preventivo

No preventivo, temos um mecanismo que fala muito sobre situações que ainda podem vir, sobre o futuro. Portanto, aqui os relatórios são entregues projetando garantir a empresa que os seus procedimentos sejam realizados como forma de segurança para a empresa.

Planejamento Tributário Operacional

O Planejamento Tributário Operacional consiste num movimento um pouco diferente, onde todos os processos financeiros da empresa começam a se posicionar dentro das normas de tributação. O processo ocorre analisando as declarações entre as instituições fiscais e os impostos juntamente da área financeira.

Planejamento Tributário Corretivo

Através do Planejamento Tributário Corretivo, a organização já tem identificado gargalos e irregularidades nos pagamentos dos seus impostos. Portanto, ele acontece quando são mapeados esses pontos que podem interferir, de fato, no processo, havendo impactos detratores nas taxas e multas.

Qual a importância do planejamento tributário?

Veja, dentro de uma empresa sempre existem profissionais responsáveis por áreas como o marketing, para qualificar e atrair novos clientes, Recursos Humanos, para cuidar das contrações e bem estar das pessoas, e por aí vai.

Neste caso, o financeiro também é uma área essencial! Pois sem o orçamento e as finanças bem estruturas, ninguém se sente seguro para dar os próximos passos, certo?

O planejamento tributário é uma das atividades mais importantes para um negócio, principalmente para aqueles que estão começando! Afinal, ressurge quem parecia estar falindo, cria margem de lucro para quem está apertado e dá novas possibilidades de crescimento para as organizações.

Porém, não se limita a isso. Agora, vamos ver mais alguns outros motivos pelo qual você deve fazê-lo urgentemente ou colocá-lo em dia!


Maior economia

A economia é um fator muito falado quando comentamos sobre esse serviço, pois esse ponto está no cerne de tudo! Em um país onde os tributos representam quase 30% de todas as receitas do negócio, economizar é mais que necessário!

As empresas buscam esse objetivo diminuindo as despesas com os impostos para aumentar as margens de lucro e novas possibilidades de investimentos, além de aumentar a distribuição dos lucros e ter um maior norte quanto ao direcionamento das reservas.


Segurança financeira

Saber que você está no caminho certo e não tem nada nem ninguém que possa dizer o contrário é maravilhoso, né? O planejamento tributário garante que não exista nenhum imprevisto nem ilegalidade na sua empresa.

Afinal, ele funciona também de maneira preventiva, como já vimos aqui, conseguindo extinguir os erros contábeis e deixando mais difícil aplicações de multas e taxações indevidas a partir dos órgãos de fiscalização.


Potencial de crescimento

A partir dessas e outras vantagens, podemos dizer que, aplicando o planejamento tributário de forma assertiva, sua empresa pode ter um maior potencial de investimento em outras atividades que venham a gerar mais retorno ainda.

Isso vai dar escalabilidade para a organização que, além de ter uma área financeira bem estruturada, ainda vai poder contar com a mesma organização em outros setores tão importantes quanto.


Como fazer um planejamento tributário?

Vamos conhecer um pouco sobre como fazer um planejamento?

Um planejamento tributário possui algumas etapas. O primeiro é essencial. Tudo começa coletando os dados da sua empresa, porque vai facilitar muito os próximos passos, tendo em vista que com essas informações já separadas, se economiza um bom tempo no processo!

Depois, se começa uma análise sobre a natureza jurídica a que a sua empresa pertence. Existem muitas opções, e cada uma tem suas características legais distintas.

A partir desta análise sobre a formatação jurídica da sua empresa, passa a ser estudado um novo regime tributário, que coordena o tempo e a quantidade de impostos que será pago. Com isso, pronto, aí sim começa a se estruturar um plano tributário, em que vai se estudar como sua empresa vai trabalhar dentro desses cenários previamente definidos.

Nesta fase, então, é avaliado cuidadosamente as quantias que incidem sobre sua organização em comparação aos produtos e serviços que são realizados, além do tipo jurídico e regime tributário escolhido.

Depois, basta fiscalizar a atuação desse plano, porque algo essencial na construção de qualquer planejamento é estar constantemente em revisão. Afinal, é preciso saber se o que foi planejado anteriormente está sendo cumprido de fato.

--

Realmente, não parece muito fácil, mas colocar o planejamento tributário em dia é muito importante e totalmente viável. Existem diversas maneiras para fazer isso acontecer, mas não deixe de ir em busca disso!

Se você gostou do conteúdo e quer saber mais dicas sobre finanças e contabilidade, continue lendo o blog da Pátrio e nos siga nas redes sociais.

Até a próxima leitura!